Home Notícias Regionais Conselho de Medicina Veterinária aprova programa de controle populacional de animais de Rebouças

Conselho de Medicina Veterinária aprova programa de controle populacional de animais de Rebouças

0
AGÊNCIA REBOUÇAS- Rua: José Afonso Vieira Lopes, 303 - Centro, Tel (42) 3457-1100

O departamento de veterinária da Secretaria Municipal de Agricultura, Desenvolvimento, Meio Ambiente e Serviços Rurais de Rebouças conquistou uma importante vitória para seus trabalhos, a aprovação por parte do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná do Projeto de Controle Populacional de Cães e Gatos.

O projeto foi baseado em resoluções do Conselho Federal de Medicina Veterinária, o qual normatizou os procedimentos de contracepção de cães e gatos e também do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Paraná, o qual normatizou os procedimentos de contracepção de cães e gatos em ações pontuais (mutirões) e/ou programa de esterilização cirúrgica com a finalidade de controle populacional no Estado do Paraná.

_____continua após publicidade_____

Segundo a veterinária do departamento, Luciane Herthel, essa aprovação é consequência de todo trabalho, “desenvolvemos desde 2016 ações nesse sentido, baseadas sempre em programas de educação em saúde, guarda responsável e esterilização cirúrgica com a finalidade de controle populacional de forma ética e responsável”, comenta.

A aprovação por parte do conselho foi em todos os pontos do programa. São eles:

– Censo Populacional – o Município realizou no mês de fevereiro de 20121, censo de cães com o auxílio do guia metodológico do ICAM (Coalização Internacional de Manejo de Animais de companhia, com objetivo de estudar as localidades ou regiões que necessitam de atendimento prioritário ou emergencial devido a superpopulação ou quadro epidemiológico e análise quantitativa de animais a serem esterilizados, por localidade, necessário à redução da taxa populacional em níveis satisfatórios. Essas informações podem auxiliar no planejamento das ações e monitoramento/avaliação dos resultados alcançados.

– Castração cirúrgica de animais, através de contração de clínicas veterinárias para a prestação do serviço. Até o momento foram castrados 382 fêmeas e 95 machos, entre animais de rua, de pessoas em situação de baixa renda e animais do Abrigo Municipal.

– Atividades de educação em saúde, bem-estar animal e guarda responsável – O programa desencadeará campanhas educativas pelos meios de comunicação adequados, que propiciem a assimilação pelo público de noções de ética sobre a guarda responsável de animais domésticos como: Orientação e distribuição de panfletos educativos sobre “Guarda Responsável, Saúde, Bem Estar Animal e Castração”; palestras anuais sobre Guarda Responsável, Saúde e Bem Estar Animal aos alunos da rede pública municipal de ensino, ensino básico fundamental, divulgações sobre o tema nas mídias local (rádio e internet), palestras e panfletos.

– Sistema de triagem socioeconômica: a  Lei Federal nº 13.426/2017, que determina que o controle de natalidade deve ser realizado dando preferência a locais ou regiões onde haja superpopulação ou quadro epidemiológico. O número de animais atendidos deve ser suficiente para reduzir a taxa populacional em níveis satisfatórios e, prioritariamente, devem ser atendidos os animais pertencentes ou localizados nas comunidades de baixa renda.Serão cadastrados no programa:

– ONG’s, associações não governamentais e protetores cadastrados;

– pessoas em situação de vulnerabilidade social, cadastrados no CAD único, mediante comprovação de renda de até 1 salário mínimo vigente nacional por família;

– animais não domiciliados;

– animais recolhidos ao Abrigo Municipal.

*Todos com comprovante de residência no município de Rebouças.

A preferência será aos animais pertencentes ou localizados nas comunidades de baixa renda bem como em regiões onde haja superpopulação de animais, conforme o censo populacional realizado.

– Identificação dos cães através de microchip – Todos os animais castrados e também aqueles doados do Abrigo Municipal receberão um microchip e serão cadastrados no Sistema de Cadastramento do Estado – Pet Amigo e se possível no SIRAA (Sistema de Identificação e Registro de Animais da América Latina – SIRAA), os quais são bancos de dados permanentes. Estes dados possibilitarão a identificação e o registro dos animais, promovendo a cultura da guarda responsável, auxiliando no reencontro entre os animais perdidos e seus responsáveis. Também auxiliam o gestor a conhecer e dimensionar a população de cães e gatos pois é um dado censitário, entre outros  A microchipagem é considerada um método de identificação permanente, além disso requer mínima contenção do animal, é segura para profissional e para animal (com baixíssimas taxas de complicações), fornece rastreabilidade.

Comentários estão fechados.

Veja Também

Prefeito Leandro Jasinski destaca importância da adesão dos municípios da AMCESPAR ao COGEMATE em reunião histórica

Nesta quarta-feira, dia 17 de abril de 2024, o prefeito de Rio Azul, Leandro Jasinski, mar…