Home Notícias Regionais Santa Casa de Irati tem medicamentos para mais 3,5 dias

Santa Casa de Irati tem medicamentos para mais 3,5 dias

0
AGÊNCIA REBOUÇAS- Rua: José Afonso Vieira Lopes, 303 - Centro, Tel (42) 3457-1100

Hospital está entrando em colapso por não ter medicação suficiente para os próximos dias e deve fazer protocolo, junto ao Hospital Universitário de Ponta Grossa, para escolher quais pacientes terão mais chance de sobrevivência

Nesta terça-feira (16), a secretária de Saúde de Irati, Jussara Kublinski, o coordenador do Centro de Operações Especiais e de Fiscalização da Covid-19 (COEF), Agostinho Basso, e o provedor da Santa Casa de Irati, Ladilao Obrzut Neto, anunciaram o agravamento dos casos de internamento e que o hospital possui medicamentos específicos para sedação para mais 3,5 dias. O serviço de saúde da região já entrou em colapso.

Em uma situação que não é diferente de todo o Paraná e da multiplicação de casos da Covid-19 pelo país, a região de Irati já começa a sentir as dificuldades para prestar atendimento aos pacientes internados pelo vírus. “Nos reunimos para explicar, à população, a gravidade em que nós estamos hoje, principalmente, sobre a falta de medicação em que estamos começando a ter”, disse a secretária Jussara.

De acordo com o presidente do COEF, são 24 cidadãos iratienses internados, sendo que 14 estão na Enfermaria e 10 ocupando a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) em estado grave, entubados. “Temos cinco pacientes internados na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde nunca se teve. A situação é muito séria, pois não temos mais para onde enviar os pacientes”. Basso lembra que há mais de 1.300 pessoas esperando vaga para atendimento em todo o sistema de saúde no estado. Em Curitiba, por exemplo, há filas de ambulâncias nos hospitais em que a situação é desesperadora.

Situação da Santa Casa em colapso

A Santa Casa de Irati está com ocupação de 100% dos leitos de UTI e de enfermaria da Covid-19. Obrzut relata que a situação é grave: “estamos, praticamente, em colapso. Tenho medicação para manter os pacientes entubados por 3,5 dias e não existe um plano B. Nesta tarde, vamos conversar com o Hospital Universitário de Ponta Grossa, e teremos que fazer um protocolo de quem terá mais chance de viver, quem tem condição de ter mais anos de vida. Infelizmente, nós passamos o ano todo falando das medidas e parece que as coisas não andaram desta forma. Vamos ter que pensar quem terá condições de vida. É duro”, disse o médico.

Ladislao diz que, em 40 anos de profissão, é uma grande dor saber que terá que optar por vidas e pede para que a população faça o possível para que esse agravamento diminua. Com esta nova variante do vírus, os casos estão, cada vez, mais complicados.

“Em Irati, várias famílias foram acometidas pela Covid-19. Temos casos de óbitos e pessoas da mesma família com casos sérios e internadas. Você, que é jovem, adulto pode pensar que passará tranquilo, de forma leve, e que as crianças são assintomáticas, por exemplo. Mas, se formos ver as estatísticas de Irati, as pessoas 19 a 49 anos são as mais acometidas e graves. Hoje, tivemos um óbito de 47 anos na região”, completou Agostinho Basso, ressaltando que o serviço de saúde não tem mais para onde expandir o atendimento.

Linha de frente está exausta  

Há um ano se dedicando aos casos de Covid-19, os trabalhadores de saúde da linha de frente seguem se dedicando no enfrentamento ao vírus. “Agradecemos a todos os profissionais de saúde pelo empenho em meio a este desafio. Eles estão cansados nesta batalha. A saúde está fazendo a mais do que está podendo”, finalizou a secretária Jussara.

Comentários estão fechados.

Veja Também

Eleição para Direção do Hospital de Caridade Dona Darcy Vargas em Rebouças terá Chapa  Única

No dia 21 de julho, às 13h no plenário da Câmara de Vereadores será a eleição para a nova …