Home Geral Deputado quer proibir fogos de artifício no país

Deputado quer proibir fogos de artifício no país

0
clique aqui e receba nossas notícias:

Grandes comemorações como réveillon, festas juninas e copas do mundo têm em comum o uso de fogos de artifício, foguetes e rojões durante suas comemorações. Mas o barulho excessivo causa grande transtorno para parte da população.

Pessoas com autismo sofrem muito as consequências dessas comemorações que provocam crises extremamente dolorosas por causa da hipersensibilidade em relação a sons e cores.

Idosos e pessoas acamadas também apresentam grande sofrimento diante do barulho causados pelos fogos.

Terror para cães e gatos, que se assustam muito com o barulho dos rojões e ficam estressados, assustados, param de comer, tentam se esconder e fugir. Há ainda relatos de cães que tiveram convulsões e parada cardiorrespiratória.

Para tentar reverter esse quadro, a Câmara dos Deputados está analisando proposta (PL 4235-2019) que proíbe a produção, comercialização e utilização desses produtos em todo o país.

O autor da proposta, deputado Bohn Gass (PT-RS), do PT gaúcho, destacou que os fogos de artifício incomodam muito pessoas e animais e por isso não devem ser utilizados.

¨Para evitar o sofrimento de pessoas com autismo, dos idosos, para evitar danos auditivos em animais, para evitar crise de ansiedade e sobressaltos em pessoas adoentadas e ainda reduzir os acidentes nas pessoas que manuseiam esses fogos¨.

Bohn Gass lembrou que em épocas de festas, os prontos-socorros recebem muitos pacientes queimados, sem dedos ou com perda auditiva por conta de rojões e foguetes.

Há muitos anos, entidades de pessoas com autismo e de defesa dos direitos dos animais realizam campanhas para a não utilização de fogos de artifício. Como consequência desse trabalho, em alguns estados e cidades já há a proibição do uso de fogos de artifício.

Da Rádio Câmara, de Brasília, Karla Alessandra.

 

Comentários estão fechados.

Veja Também

COMENTÁRIO – O negacionista continua “galopando” em sua visão unilateral