Home Saúde 26 de janeiro Dia da Gula: a fronteira entre o prazer e a compulsão alimentar

26 de janeiro Dia da Gula: a fronteira entre o prazer e a compulsão alimentar

0
AGÊNCIA REBOUÇAS- Rua: José Afonso Vieira Lopes, 303 - Centro, Tel (42) 3457-1100

Entrevista com a Psicóloga Bárbara Santos, Coordenadora do Núcleo de Transtornos Alimentares da Holiste Psiquiatria

A experiência ocasional de se permitir um banquete gastronômico é um deleite compartilhado por muitos, mas quando essa indulgência se transforma em um padrão recorrente, pode indicar a presença de distúrbios alimentares que vão além da simples gula. O Núcleo de Compulsão Alimentar da Holiste Psiquiatria enfatiza que a perda de controle à mesa pode ser um sinal de alerta para condições como obesidade e bulimia.

Portal: Dra. Bárbara Santos., poderia nos falar sobre a importância de reconhecer sinais de alerta quando se trata de hábitos alimentares compulsivos?

Dra. Bárbara Santos: Certamente, é crucial reconhecer que a indulgência ocasional pode se transformar em um padrão recorrente, indicando a presença de distúrbios alimentares. Perder o controle à mesa pode ser um sinal de alerta para condições sérias, como obesidade e bulimia.

Portal: A gula, do ponto de vista médico, é vista como um comportamento excessivo em relação à comida. Pode nos fornecer mais insights sobre como identificar esse comportamento?

Dra. Bárbara Santos:Claro. Do ponto de vista médico, a gula envolve um comportamento excessivo e a ausência de controle na ingestão alimentar. Indivíduos compulsivos consomem grandes quantidades sem conseguir regular o que estão ingerindo, o que pode indicar problemas subjacentes mais profundos.

Portal:Como a compulsão alimentar pode estar relacionada a questões emocionais ou vazios emocionais?

Dra. Bárbara Santos: A compulsão alimentar muitas vezes é uma tentativa inadequada de suprimir emoções ou preencher um vazio emocional. É mais do que uma apreciação descontrolada da comida; é uma relação problemática que não apenas priva a pessoa do prazer da alimentação, mas também pode levar a consequências sérias, como obesidade e problemas de saúde.

Portal: Ao buscar tratamento, muitos pacientes têm dificuldade em identificar a fonte do problema. Como a abordagem multidisciplinar, envolvendo nutricionistas e psiquiatras, desempenha um papel crucial nesse processo?

Dra. Bárbara Santos: A abordagem multidisciplinar é fundamental. Muitos pacientes, inicialmente, têm dificuldade em identificar a fonte do problema. Ao longo das sessões, questões pessoais e dinâmicas familiares muitas vezes não verbalizadas emergem. A colaboração entre psicólogos, nutricionistas e psiquiatras é crucial para uma compreensão abrangente e um tratamento eficaz dessas questões.

Portal: Para encerrar, como as informações e os tratamentos disponíveis na Holiste podem contribuir para o bem-estar físico e mental?

Dra. Bárbara Santos: A Holiste é uma clínica de excelência em saúde mental, oferecendo serviços ambulatoriais, internamento psiquiátrico, Hospital Dia e Residência Terapêutica. Com um corpo clínico diversificado, incluindo médicos psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, entre outros, proporcionamos tratamentos personalizados e eficazes para transtornos relacionados à saúde mental. Para mais informações, convido todos a visitarem nosso site em [holiste.com.br](https://holiste.com.br/).

Comentários estão fechados.

Veja Também

Influenza, dengue e covid: saiba as diferenças

Essas doenças podem afetar todas as faixas etárias Saber a diferença dos sintomas da influ…