Home Notícias Regionais REBOUÇAS: Eco-Troca irá fornecer alimentos em sacolas retornáveis

REBOUÇAS: Eco-Troca irá fornecer alimentos em sacolas retornáveis

0
AGÊNCIA REBOUÇAS- Rua: José Afonso Vieira Lopes, 303 - Centro, Tel (42) 3457-1100

Esse projeto tem a participação de aproximadamente 24 agricultores. Ele consiste na troca de alimentos por lixo reciclável.
De acordo com Lediane Menezes Lourenço Carraro, diretora de Departamento da Agricultura Familiar, atualmente são atendidos quatro bairros (Vila Feliz, Vila Ester, Alto da Glória e Beira Linha). “São aproximadamente 150 famílias da área urbana que são beneficiadas no Eco-Troca, onde ocorre o repasse de alimentos dos agricultores (cadastrados na Cooperativa Mista de Desenvolvimento da Agricultura Familiar de Rebouças – COMDAFAR), para as famílias participantes”, comenta.

SACOLAS RETORNÁVEIS – Atualmente os alimentos são colocados em sacolas plásticas. De acordo com Lediane para fortalecer ainda mais a questão de conscientização – e considerando que uma sacola plástica leva em média 450 anos para se decompor – nada mais necessário agir também nessa questão.
Para isso, Lediane informa que o município foi contemplado pelo Estado do Paraná, com recursos do Departamento de Segurança Alimentar e Nutricional para a aquisição de 1.000 sacolas em lona, bem como um veículo utilitário para o transporte de alimentos, e mais três balanças eletrônicas. “A finalidade é de melhoria na estrutura do Eco-Troca, tornando-o ainda mais ecologicamente correto”, conclui a diretora de Departamento da Agricultura Familiar.

—-continua após publicidade—-

COMO FUNCIONA – O município realiza a troca de materiais recicláveis por alimentos saudáveis provenientes da Agricultura Familiar, visando educação ambiental nas comunidades envolvidas onde se percebe um grande processo de amadurecimento socioambiental diminuindo a deposição de lixo em locais irregulares que causam poluição em vários aspectos,  além de serem focos de doenças e criadouros de animais nocivos.

Os agricultores que participam desse sistema também passam a ser beneficiados momento em que vislumbram novas possibilidades e comercialização de seus produtos gerando renda e qualidade de vida no interior do município, fazendo com que os recursos obtidos com a venda de hortifrútis sejam retornados no município na forma de arrecadação direta municipal, ou na forma de circulação monetária do comércio local.

A Associação de Catadores de Recicláveis também tem uma parcela importante já que o material a ser coletado nos bairros passa a estar concentrado em um único ponto de coleta e já chega a limpo e separado.

“Os beneficiários diretos são famílias que realizam a troca e recebem os alimentos aumentando o valor nutricional de suas refeições, principalmente para a população mais carente. Além disso, possibilita também a economia de recursos com a compra de hortifrúti fazendo com que sobre algum recurso para ser destinado a outras aquisições”, menciona Lediane.

Outra questão bastante relevante com a execução do projeto é a questão ambiental tendo em vista que as famílias começam as se preocupar melhor com a destinação de materiais recicláveis pois esses podem se transformar em alimento na mesa. Nessa proposta o que acaba diminuindo a quantidade de materiais jogados em locais impróprios e passíveis de contaminação do ambiente. Sem dúvida há também uma diminuição do custo com a coleta de lixo nos

Segundo Lediane, a cada troca, ocorre a distribuição média de 500 Kg de alimento. “Esse volume varia de bairro para bairro podendo chegar a 1.100 kg por entrega”, destaca ela.

Comentários estão fechados.

Veja Também

REBOUÇAS – Com recursos do Estado, cidade investe mais de R$ 5,6 milhões em obras urbanas

O município de 14.524 habitantes tem obras na área da educação, do esporte e lazer. Com 64…