Home Notícias Regionais Irati ganha Centro Universitário Campo Real

Irati ganha Centro Universitário Campo Real

0

Na tarde de 16 de junho, Irati consolidou a vinda de mais uma importante conquista para a área da educação superior no Município. O prefeito Jorge Derbli, acompanhado de alguns secretários e vereadores, participou da visita às futuras instalações do Centro Universitário Campo Real, campus Irati.

Junto ao reitor daquela universidade, o professor Edson Aires da Silva e de sua equipe técnica, o prefeito pode se inteirar do princípio do projeto que vai transformar o antigo colégio Sagrado Coração (Congregação das Irmãs Franciscanas do Coração de Maria – conhecido como o “Colégio das Irmãs”), localizado no limite dos bairros Riozinho e Engenheiro Gutierrez, no mais novo empreendimento educacional de Irati. O local está sem funcionamento desde a década de 90.

O Centro Universitário adquiriu toda a área do antigo estabelecimento de ensino, estimada em dois alqueires e, a partir de amanhã, dia 17, dará início ao processo de reforma, restauração e reestruturação do prédio. A arquitetura original da edificação, que é histórica, será mantida.

“É um momento histórico para a Universidade Campo Real e também para o município de Irati, atendendo uma expectativa muito grande de todos que é a aquisição desta área para implantação de um campus que já havia sendo discutido há muito tempo”, declarou o reitor Aires.

O professor também comentou que uma região muito grande passará a ser atendida pelo campus Irati e que, inclusive, com a universidade instalada aqui, acadêmicos iratienses não precisarão mais se deslocar aos municípios vizinhos como Ponta Grossa, União da Vitória e Guarapuava.

Aires declarou que “a expectativa é fazer a reforma do prédio o mais rápido possível, efetuando todas as adaptações necessárias, para que a partir do ano que vem, ocorra a implantação do Centro Universitário Campo Real campus Irati e o início dos novos cursos”.

O reitor disse que ainda estão em fase de estudos os cursos que serão definidos para Irati, mas já há levantamentos que apontam para cinco cursos iniciais que seriam implantados: Direito, Administração e Engenharia Civil, além de outros dois na área de saúde, que podem ser Enfermagem e Biomedicina. Estas propostas, segundo ele, estão sendo amadurecidas e ainda este ano serão divulgadas para que Irati e região fiquem sabendo o que a Campo Real irá oferecer aqui.

“É um presente para Irati. Um grande investimento que marca a realidade do Município e que vai trazer benefícios imensos”, comemorou o prefeito Jorge Derbli. Para o prefeito, mais que o conforto dos alunos de Irati poderem evitar o deslocamento aos outros campis, a nova universidade terá impacto regional em todos os municípios que compõem a Amcespar, e formará profissionais que poderão atuar inclusive em Irati e região.

Derbli também citou a importante participação da doutora Mitzy de Lima Santos no processo de atração do Centro Universitário Campo Real para Irati. “Ela teve papel fundamental na interlocução com a direção da universidade, e auxiliando no processo de contato com os proprietários deste imóvel que são de São Paulo. Sem dúvida, foi um elo da corrente muito importante para o progresso de Irati que está se concretizando”, destacou.

No início do ano o prefeito, o presidente da Câmara de Irati, Ney Cabral e o vereador Marcelo Rodrigues, visitaram o Centro Universitário Campo Real em Guarapuava efetuando um convite para que aquela instituição de ensino viesse trabalhar também em Irati, ocasião em que foram informados que o Centro Universitário já tinha essa intenção.

Histórico

No início de março de 1952, a Congregação das Irmãs Franciscanas do Coração de Maria enviou um grupo de sete irmãs da província de Campinas a Irati, tendo por objetivo a instalação da primeira casa da congregação no Paraná. As irmãs chegaram ao município no dia seis de março e se dirigiram à comunidade do Riozinho, onde estava em construção o Seminário da ordem dos franciscanos. Foram recebidas com muitos festejos e se instalaram numa casa de madeira junto ao seminário, doada também pela família Anciutti.
No dia seguinte, as irmãs fundaram a Escola Sagrado Coração, sendo a Irmã Martha Inacarato Bueno a professora da primeira turma. Era uma classe multisseriada que se iniciou com apenas oito alunos de 1ª, 2ª e 4ª séries. Logo, porém, a escola passou a receber alunos de diversas comunidades próximas e o número de estudantes muito se elevou.
Em 1955, as irmãs transferiram residência para o novo prédio e a escola passou a funcionar em amplas instalações, havendo regime de internato para meninas residentes em comunidades distantes onde não havia escola. Em 1969, o ensino de 1ª a 4ª séries foi estadualizado e, nesse mesmo ano, foi criado o Ginásio Sagrado Coração.
Com a municipalização do ensino de 1ª a 4ª séries, em 1997, foi criada a Escola Municipal Frei Patrício, funcionando nas mesmas dependências do Colégio Sagrado Coração. Ambas as escolas, no entanto, foram extintas em 1999.

Comentários estão fechados.

Veja Também

Volta às aulas: primeiras cidades que receberiam o plano-piloto são Irati, Guarapuava ou União da Vitória