Home Saúde É gripe ou dengue? Saiba de uma vez por todas diferenciar os sintomas

É gripe ou dengue? Saiba de uma vez por todas diferenciar os sintomas

0
AGÊNCIA REBOUÇAS- Rua: José Afonso Vieira Lopes, 303 - Centro, Tel (42) 3457-1100

Você já se perguntou sobre as diferenças entre a gripe e a dengue? Essas duas doenças são amplamente conhecidas e podem afetar significativamente a nossa saúde. A médica e diretora da Salus Imunizações, Dra. Marcela Rodrigues e o médico e diretor técnico, Dr. Marco César Roque, da Salus Imunizações fornecem informações detalhadas e esclarecedoras sobre essas condições e como você pode se proteger.

A gripe, também conhecida como influenza, é uma infecção viral respiratória altamente contagiosa. Causada pelo vírus influenza, ela se espalha facilmente de pessoa para pessoa através de gotículas respiratórias no ar. A dengue, por outro lado, é uma doença transmitida por mosquitos, especificamente pelo Aedes aegypti. Esse mosquito é comum em áreas tropicais e subtropicais e pode transmitir o vírus da dengue quando nos picam.

Vamos começar falando sobre a gripe. Ela é caracterizada por sintomas como febre alta, dores musculares e articulares, dor de cabeça intensa e fadiga. Em casos mais graves, a gripe pode levar a complicações como pneumonia e infecções bacterianas secundárias. É importante ressaltar que a gripe pode afetar pessoas de todas as idades, mas é especialmente perigosa para grupos mais vulneráveis, como idosos, crianças pequenas e pessoas com condições médicas pré-existentes.

“Uma das melhores formas de prevenir a gripe é através da vacinação anual. A vacina da gripe é atualizada regularmente para proteger contra as cepas mais prevalentes do vírus. Além disso, medidas preventivas como a higiene das mãos e a etiqueta respiratória (como cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar) também são essenciais na redução da propagação do vírus”. Informa a Dra. Marcela Rodrigues.

Agora, falando sobre a dengue. Essa doença é caracterizada por sintomas como febre alta repentina, dores de cabeça intensas, erupção cutânea e dores nas articulações. Em casos mais graves, pode ocorrer a dengue hemorrágica, que é potencialmente fatal. É fundamental estar atento aos sinais de alerta da dengue hemorrágica, como sangramento nas gengivas, vômitos persistentes e dificuldade respiratória, e procurar assistência médica imediatamente se esses sintomas se manifestarem.

O Dr. Marco César Roque destaca que a prevenção da dengue envolve a eliminação de criadouros de mosquitos, como recipientes com água parada, e a redução da população de mosquitos através de medidas de controle. O uso de repelentes e roupas que cubram a pele exposta também é recomendado, especialmente em áreas onde a incidência da dengue é alta. Além de realizar também com a vacina contra a dengue.

O Brasil sofreu em 2022 o mais alto número de mortes pelo vírus da dengue já registradas, ultrapassando pela primeira vez a quantia de mil óbitos no período de 12 meses. Muitas cidades encontram-se em estado de alerta devido à epidemia.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica a dengue como uma das dez principais ameaças à saúde global.

A taxa de mortes por dengue apresentou um aumento significativo de 2021 para 2022, o que desperta uma preocupação global em relação ao possível aumento exponencial do número de casos e óbitos pela doença no futuro. A falta de controle efetivo do mosquito, a falta de acesso a cuidados de saúde adequados e a falta de conscientização sobre prevenção contribuem para o aumento dos casos e das mortes.

Como identificar se é gripe ou dengue?

O Dr. Marco César Roque alerta que apesar das diferenças, há algumas semelhanças cruciais entre a gripe e a dengue. Ambas podem levar a complicações graves e até mesmo à morte. A prevenção desempenha um papel fundamental na redução do impacto dessas doenças. A vacinação anual contra a gripe é altamente recomendada, assim como a adoção de medidas preventivas para evitar a dengue, como a eliminação de criadouros de mosquitos, o uso de repelentes e a vacinação.

“A gripe e a dengue são doenças que merecem atenção. Ao compreender as diferenças entre elas, podemos tomar medidas para nos protegermos e protegermos nossas comunidades. A vacinação anual contra a gripe e a adoção de medidas preventivas e vacinação para evitar a dengue são ações que todos podemos tomar para promover a nossa saúde e o bem-estar coletivo”. Finaliza a Dra. Marcela Rodrigues da Salus Imunizações.

Mais Sobre Marcela Rodrigues: Diretora da Salus Imunizações
Médica com graduação e residência em dermatologia pela faculdade ciências médicas de Santos, atuando há 25 anos na área da saúde.
Membro sociedade brasileira de dermatologia.
Membro sociedade brasileira de imunização.
Membro da associação brasileira de melanoma.

Mais Sobre Marco César Roque: Diretor Técnico da Salus Imunizações
Médico graduado pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos com
residência em Neurologia Pediátrica pelo Hospital do Servidor
Público Estadual- IAMSPE, responsável pelo setor de Neurologia
Pediátrica do Grupo Santa Joana. Membro da Sociedade Brasileira de
Neurologia Infantil, é preceptor do programa de Residência Médica
do Hospital Municipal Infantil Menino Jesus -PMSP.

Comentários estão fechados.

Veja Também

Rebouças- 39 casos de Dengue são apontados no boletim semanal

Aumento alarmante de casos requer atenção da comunidade  Rebouças, PR – Durante o pe…