Home Política Direto de Brasília – Os principais fatos das últimas 24h

Direto de Brasília – Os principais fatos das últimas 24h

0

26 de maio

Weintraub terá que explicar ao Senado ataques ao STF

O plenário do Senado aprovou nesta segunda (25) a convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub. A autora do requerimento, senadora Rose de Freitas (Podemos-ES), disse que o ministro deve explicações pela afirmação de que “botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”. Rose considera que a fala, feita na reunião ministerial do dia 22 de abril, é uma ofensa tanto ao Poder Judiciário quanto ao Poder Legislativo.

Senadores devem se reunir com Barroso para discutir calendário eleitoral

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e uma comitiva de senadores devem se encontrar nesta sexta-feira com o novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, para discutir as eleições de outubro. Segundo o líder do PDT, senador Weverton (MA), uma decisão sobre o adiamento do pleito de prefeitos e vereadores só deverá ser tomada no final de junho. Mas o senador Wellington Fagundes (PL-MT) defende a prorrogação dos atuais mandatos para a unificação das eleições em 2022 também como forma de economizar recursos.

Senado aprova MP que torna cargos de confiança na Polícia Federal exclusivos de servidores de carreira

O Senado aprovou nesta segunda-feira (25) a medida provisória que torna cargos de confiança na Polícia Federal exclusivos de servidores de carreira. A MP 918/2020 cria 516 funções comissionadas para a instituição, ao mesmo tempo que transforma 281 cargos em comissão DAS em 344 funções de chefia. O objetivo da reestruturação é fortalecer as unidades regionais, o policiamento no interior e nas fronteiras.

Plenário aprova proibição de corte de água, luz e telefone nos finais de semana e na véspera de feriados

De autoria do senador Weverton (PDT-MA), o projeto proíbe o corte de serviços básicos, como água e luz, nas sextas-feiras, nos finais de semana e na véspera de feriado. Ele argumentou que os consumidores inadimplentes acabam penalizados por não conseguirem pagar a conta para a religação imediata nesses dias. Com o compromisso do governo, a relatora, senadora Kátia Abreu (PP-TO), retirou do projeto o fim da taxa de religação para dar um prazo para que as concessionárias limitem o valor da cobrança. A proposta segue para a sanção presidencial.

Comentários estão fechados.

Veja Também

COMENTÁRIO: Se os homens soubessem como são produzidas a lei e as salsichas!