Home Política Regional COMISSÃO ESPECIAL OUVE SUSPEITOS DE TEREM FURADO FILA DA VACINAÇÃO EM RIO BRANCO DO SUL

COMISSÃO ESPECIAL OUVE SUSPEITOS DE TEREM FURADO FILA DA VACINAÇÃO EM RIO BRANCO DO SUL

0
clique aqui e receba nossas notícias:

Quatro dos cinco suspeitos de terem furado a fila de vacinação contra a Covid-19 em Rio Branco do Sul confirmaram presença na Audiência Pública convocada para esta terça-feira (11), às 10 horas. O evento é organizado pela Comissão Especial da Assembleia Legislativa, que apura fraudes de vacinação contra a Covid-19 no Paraná, e será pelo sistema remoto devido aos protocolos sanitários adotados na pandemia.

A reunião será realizada através do aplicativo Zoom e poderá ser acompanhada pelo link: https://zoom.us/j/97921041650?pwd=TXR1L1QvZjByN3h6R3l2YkkzVjNPdz09

Em razão de um evento agendado anteriormente, reunião da Frente Parlamentar do Coronavírus, a transmissão da audiência da Comissão Especial pela TV Assembleia e redes sociais do Legislativo acontecerá após a sessão plenária.

(continua após anúncio)

 

Foram notificados a prefeita Karime Fayad, que encaminhou à Promotoria de Justiça um relatório com nomes que teriam furado a fila, o secretário de Saúde do município, Rafaele Corradi e ainda os proprietários de duas clínicas odontológicas e de um laboratório que teriam vacinado familiares fora das regras prioritárias de imunização.

“Essa audiência visa resguardar a credibilidade da vacinação no Paraná. Destacando o exemplo da prefeita que apurou os casos e denunciou os fura-filas. Pessoas que usaram a sua prerrogativa da área de saúde para vacinar fora da lista de prioridade na imunização, incluído um jovem de 17 anos”, explicou o deputado Delegado Francischini (PSL), presidente da Comissão Especial.

A cidade, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), recebeu a primeira diligência da Comissão no fim de abril.

A CEI já encaminhou também requerimentos pedindo informações a diversos órgãos de controle. O objetivo é recolher o maior número de elementos e cruzar dados que indiquem possíveis irregularidades.

Os pedidos são para o Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), Tribunal de Contas de União (TCU), Controladoria Geral do Estado (CGE), Controladoria Geral da União (CGU), Secretaria de Estado da Saúde, Ouvidoria do Ministério da Saúde e às promotorias de Proteção ao Patrimônio Público e Ordem Tributária e de Proteção da Saúde do Ministério Público do Paraná.

Membros – Além do Delegado Francischini, são titulares da comissão os deputados Hussein Bakri (PSD), Tiago Amaral (PSB), Michele Caputo (PSDB), Arilson Chiorato (PT), Nelson Justus (DEM) e Delegado Jacovós (PL). Os suplentes são Emerson Bacil (PSL), Artagão Junior (PSB), Paulo Litro (PSDB), Tadeu Veneri (PT), Anibelli Neto (MDB) e Galo (PODE).

Comentários estão fechados.

Veja Também

Isenção previdenciária a militares com moléstias graves será votada pela Assembleia na próxima segunda

Líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado Hussein Bakri (PSD) anunciou para a…