Home Política Regional Aliel une lideranças para evitar fechamento da Fazenda Nacional em PG

Aliel une lideranças para evitar fechamento da Fazenda Nacional em PG

0

O deputado federal Aliel Machado (PSB) e lideranças se reuniram em Brasília nesta terça-feira, 26, com o Procurador-Geral da Fazenda Nacional, Dr. José Levi Mello do Amaral Júnior. A reunião contou com um representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do  juiz federal Antônio Cesar Bochenek, do coordenador da bancada federal paranaense, Toninho Wandsheer e do vice-líder do Governo, Ricardo Barros.

O objetivo da reunião, que foi solicitada pelo parlamentar ponta-grossense, foi o de buscar reverter a decisão do Governo Federal de fechar a Seccional de Ponta Grossa da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Durante a conversa, Aliel apresentou dados técnicos e destacou o papel importante do município no cenário estadual. O Procurador-Geral se comprometeu a manter uma estrutura de trabalho no município, mesmo com o processo de virtualização planejado pelo órgão. Desta forma o município continuará tendo atendimento presencial da Procuradoria.

Para o deputado, o compromisso firmado foi positivo e reverte grande parte da decisão equivocada do fechamento total da Seccional. ”A cidade possuí um papel econômico e industrial de destaque no Paraná e a Procuradoria é o órgão responsável por defender o Governo nas questões tributárias e fiscais . O fechamento abriria um vácuo prejudicial à própria União no que diz respeito à arrecadação de impostos, tão desejada por este Governo”, afirmou Aliel.

Desde a publicação da portaria, lideranças locais se mobilizaram para tentar reverter a decisão. A Ordem dos Advogados do Brasil, subseção Ponta Grossa, também se manifestou contra o fechamento. Para a presidente da OAB-PG, Rubia Carla Goedert, a portaria é um retrocesso. Por indicação dela, na tentativa de que a decisão seja revista, um representante do Conselho Federal também participou da reunião em Brasília. ”Recebemos a notícia do fechamento da Procuradoria com muita indignação. Não podemos aceitar calados tamanho prejuízo que essa desativação trará para a advocacia e para a cidade de Ponta Grossa”, destacou ela.

Um documento assinado por várias entidades, entre elas a ACIPG e o Sindicato dos Contabilistas de Ponta Grossa também apresentou argumentos contra a suspensão das atividades. De acordo com eles, “não se desconhece que a virtualização de determinados serviços pode contribuir para a celeridade em casos específicos. No entanto, as entidades e autoridades defendem que a presença física da Procuradoria no município de Ponta Grossa é indispensável para que haja a maior efetividade possível na arrecadação, ante o conhecimento apurado da realidade fática dos contribuintes nesta cidade localizados”, diz o documento.

Comentários estão fechados.

Veja Também

Quem são os demais candidatos na região da Amcespar

IRATI Emiliano Gomes Em convenção partidária, o PSD de Irati, coligado com o PSC e o Cidad…