Home / Notícias / Pais dizem que enterraram corpo após bebê de seis meses morrer afogado no banho

Pais dizem que enterraram corpo após bebê de seis meses morrer afogado no banho

Uma denúncia anônima levou a Polícia Civil, na tarde desta quinta-feira (26), até o corpo de um bebê que estava desaparecido desde o início do mês. Os próprios pais confessaram que enterram o pequeno após ele se afogar em um suposto banho em Itaperuçu, na região metropolitana de Curitiba. O pai, Rafael Kuiava, foi preso no local por ser foragido da Colônia Penal Agrícola.

O corpo foi enterrado pelo pai em uma pedreira desativada e de difícil acesso no município metropolitano. Heitor Kuiava, de seis meses, era procurado pelo Serviço de Investigações de Crianças Desaparecidas (Sicride) desde a manhã desta quarta-feira (25).

Após a denúncia, o Sicride chegou primeiramente até o trabalho da mãe de Heitor, onde ela confessou a morte. Como o pai era foragido da Justiça, ele teria entrado em desespero e levado o corpo até esse local para a ocultação. Nenhuma queixa foi registrada na Polícia Civil e nem mesmo os familiares sabiam o que tinha acontecido com o bebê. A mãe tentou, em um primeiro momento, confirmar a história do sequestro, mas acabou confessando o crime. À polícia, ela disse que não percebeu que o filho tinha morrido e chegou a colocar ele para dormir.

Segundo a delegada Iara Dechiche, o casal é muito frio e a versão contada não convenceu a polícia. “A mãe não esboça sentimentos, as vezes chora, mas as vezes parece que não aconteceu nada. Recebemos a informação do Ministério Público de que a criança teria sido sequestrada por quatro pessoas, mas que a história não seria verídica pelo fato do bebê chorar muito e sempre demonstrar marcas de ferimento”, explicou.

Já diante da desconfiança de vizinhos, o casal se mudou para Almirante Tamandaré, onde a mãe tentou a registrar boletim de ocorrência por sequestro, mas que desapareceu após um suposto mal estar. Rafael estava foragido há alguns meses.

O casal pode responder agora por homicídio e ocultação de cadáver.

* Como a mãe do bebê não foi presa pela Polícia Civil, a Banda B optou por não divulgar nome e imagem dela.

 

Fonte: Banda B

Sobre CLAYTON ARISTOCRATES MOLINARI BURGATH

Jornalista, Membro da Academia de Letras, Artes e Ciências do Centro-Sul do Paraná. Assessor de Imprensa e Comunicação

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.