Ex-diretor da Assembleia Legislativa é alvo de operação

O Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, deflagrou, nesta segunda-feira (13), a Operação Castor. O principal alvo é o ex-diretor da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) Abib Miguel, conhecido como Bibinho.

A operação investiga a extração de madeira ilegal em fazenda que estava bloqueada pela Justiça. São cumpridos sete mandados de busca e apreensão em uma propriedade em Rio Azul e na casa de Bibinho em Curitiba.

Abib Miguel é apontado pelo Ministério Público como mentor do esquema batizado de “Diários Secretos”, que desviou mais de R$ 216 milhões na Alep entre os anos de 1997 e 2010. O esquema envolveu a contratação de mais de 90 funcionários “fantasmas” na Alep.

Os recursos desviados eram lavados através da aquisição de imóveis urbanos e rurais. As propriedades eram registradas em nome do próprio Bibinho e de familiares dele, em vários estados do país.

Essas propriedades tinham exploração agrícola ou extração de madeira e minérios, como forma de lavar dinheiro. Os imóveis bloqueados pela Justiça estão localizados no Paraná, mas também há propriedades em Goiás, Tocantins, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Santa Catarina e São Paulo.

Bibinho tem duas condenações por peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Porém, as sentenças foram anuladas pelo Tribunal de Justiça e as ações criminais voltaram para a primeira instância, ainda em trâmite para julgamento.

Também foram condenados pela participação no esquema de desvios os ex-diretores José Ary Nassif (Administrativo) e Cláudio Marques da Silva (Pessoal) – eles eram os responsáveis por efetuar as contratações irregulares. Os ex-diretores foram condenados formação de quadrilha, peculato e lavagem de dinheiro.

fonte:Narley Resende-paranaportal

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.